Whatsapp Image 2020 03 13 At 16.16.38 - Contabilidade em Goiânia - GO | Blog - Prime Gestão Contábil

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Quanto tempo você utiliza para fazer a gestão do seu empregado doméstico?

Entre fazer as operações no eSocial e ficar atento a cumprir todas as obrigações legais você utiliza um tempo precioso, que você pode colocar nas mãos de uma gestão contábil competente.

Administra-se:

Admissão, Férias, Tributos Mensais, Afastamento, Licença Maternidade, Desligamento e muito mais.

Por que devo legalizar meu empregado doméstico?

Com a criação da PEC das domésticas tornou-se obrigatória a formalização da relação de trabalho doméstico. Ou seja, quem tem babá, faxineira (o), cozinheira (o), motorista, acompanhante de idosos, entre outras funções, precisa legalizar sua empregada doméstica através do e-Social.

Mas qual a importância de formalizar essa relação?

A formalização dessa relação trouxe benefícios para o trabalhador doméstico, tais como: direito a férias remunerada, 13º salário, salário mínimo, descanso semanal remunerado (DSR), licença maternidade, auxílio doença e muitos outros.

Neste post abordaremos 5 pontos que merecem a atenção do empregador na hora de contratar sua empregada doméstica. Para que assim esteja de acordo com a nova lei:

1-Salário base para a categoria – O empregado ganhou direito a um salário base, que em todo o país é de R$ 1.045,00. Contudo, alguns Estados estipularam um salário mínimo para a categoria. Como exemplo, temos: Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Portanto, esta base deve ser respeitada pelo empregador e em caso de jornada parcial, deverá ser feito o cálculo do salário proporcional.

2-Período de férias – O trabalhador possui direito a 30 dias de férias. Entretanto, caso exerça jornada parcial gozará de férias proporcional de acordo com Art. 3o § 3o da Lei Complementar nº 150 de 01 de Junho de 2015. É preciso analisar cada caso em suas particularidades, contudo é dever do empregador atentar-se a esse período.

3-Jornada de trabalho – Existem alguns tipos de jornada de trabalho que podem ser acordadas pelas partes interessadas. Sendo as mais comuns: Jornada Semanal com horário padrão e folga fixa; Jornada 12 X 36; Jornada com horário diário fixo e folga variável. A carga horária semanal total não poderá ser superior a 44 horas semanais.

4– 13º salário – Este é mais um direito adquirido pela empregada doméstica. Tal direito corresponde ao pagamento de mais um mês de salário ou proporcional ao tempo de trabalho. Esse benefício é dividido em duas parcelas, a primeira deve ser paga entre os meses de fevereiro e novembro, no valor correspondente à metade do salário do mês anterior. Já a segunda deve ser paga até o dia 20 de dezembro, no valor da remuneração de dezembro, descontado o adiantamento feito.

5– FGTS e INSS – O valor referente ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço equivale a 8% dos vencimentos. Este recurso é o “porto seguro” do empregado em caso de demissão sem justa causa, pois garante ao trabalhador uma quantia pelo tempo do serviço prestado. Além disso, há a contribuição previdenciária que dá ao empregado o direito de aposentadoria no futuro. Os valores são divididos em INSS patronal – parte do empregador – e contribuição previdenciária – parte do empregado – esta é descontada mensalmente direto na folha de pagamento.

Caso tenha ficado alguma dúvida ou precise de suporte para gerir o seu empregado, entre em contato conosco.

Fonte: EQUIPE CONTAMAIS

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

Escrituracao Contabil Pelo Simples Nacional Entenda Sobre - Quero montar uma empresa

Escrituração contábil pelo Simples Nacional – Entenda sobre!

Mesmo com a falta de um consenso entre os contadores e empresários, a legislação brasileira estabelece que as empresas regidas pelo Simples Nacional também estão sujeitas à transmissão da escrituração contábil, uma vez que, tal atividade se trata de uma obrigatoriedade imposta a todos os regimes tributários, de acordo com a ITG 2000 do Conselho Federal de Contabilidade, aprovada pela Resolução 1.330/11.

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Recomendado só para você
O capital de giro na gestão financeira é de fundamental…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top
Open chat